Um baile para os Lwas

Frater Vameri



Foto por Lavinia Williams Yarborough.


Há uma tradição no Haiti rural que provavelmente está morrendo: os bailes para os Lwas. Uma festa dada pelas famílias de cinco em cinco anos (ou algo assim; imaginem os custos!) para os seus Lwas familiares e de terra, mas também é uma festa que pode ser dada mais frequentemente, principalmente por Ougans e Manbos.


O curioso dessa festa é que inclui geralmente dois tipos de música e de dança (pelo menos): Menwat e Kongo. Já falaremos brevemente sobre essas músicas e danças, principalmente sobre o primeiro tipo, mas a escolha de uma ou de outra dependerá de quem está dando o baile dos tipos de Lwas que serão servidos.


O baile tem início dentro da casa ou de um prédio da família e os músicos tocam Menwat em frente a uma mesa preparada para os Lwas, que são arrumadas especialmente para essas ocasiões. Nessas mesas estarão objetos e comidas para os Lwas. É importante notar também que essas cerimônias não necessitam de um sacerdote oficiante – a família é a responsável total por esses bailes. Claro, se houver um sacerdote na família, ele poderá auxiliar, mas não é algo obrigatório.


Os músicos de Menwat saúdam os Lwas com tambores, um violino com uma afinação muito especial e com alguns elementos musicais que denotam uma herança europeia clara. Somente quando eles acabam, os músicos de Kongo se dirigem para um local próprio – separado e afastado dos Menwat – e então começam a tocar. Ou seja, tocam os dois grupos musicais ao mesmo tempo!


Ainda, dentre as atividades desse baile, poderá haver a iluminação com lanternas de algodão em óleo, a libação de bebidas e a divisão das comidas entre as pessoas e os Lwas. Depois que a música começa é comum que os Lwas resolvam se juntar à festa através das possessões.


É importante ter em mente que a música Menwat é para a saudação de Lwas Blan. Embora blan em Crioulo Haitiano possa querer dizer “estrangeiro”. Como os músicos utilizam-se de elementos europeus, seria tentador achar que os Lwas saudados seriam todos europeus. Entretanto, esse não é bem o caso aqui, mas sim, refere-se a branco – no sentido de pureza. Algo similar aos orixás funfun. É curioso notar que em algumas regiões Lwa Blan é quase sinônimo de Ezili Blan – que seria uma Ezili em oposição à Virgem Negra.


Embora a música Kongo possa dar a impressão de que é apenas relacionada à nação Congo, essa é uma noção equivocada. Os músicos de Kongo tocam ritmos Rada, Ibo etc.


Essa descrição dos bailes foi retirada da tese “Music and dance of haitian vodou: diversity and unity in regional repertoires” de D . Yuen-Ming Yih. Espero que tenha sido interessante para vocês aprender mais e entender como o Vodou é algo diverso.

34 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo