Mesmerizando o Vodou

Frater Vameri



Eu já discuti inúmeras vezes que o Vodou Haitiano bebe de diversas fontes. Essa é uma tecla na qual eu nunca pararei de bater. Continuando essa discussão, gostaria de comentar rapidamente sobre a possível influência de Mesmer. Esta discussão é baseada no artigo de François Regourd sobre o mesmerismo em São Domingos.


Sabe-se que em 1784 – notem que pouco antes do fatídico 1791 que verá a cerimônia de Bois Caiman e o “início” da revolução – havia um mesmerizador em São Domingos. O relato de Madame Millet diz que ele podia causar diversos efeitos assustadores nas pessoas, como fazê-las sufocar ou entrar em frenesi.


O mesmerizador era Antoine-Hyacinthe-Anne de Chastenet de Puysègur, um oficial da marinha. O irmão desse oficial era um discípulo direto de Mesmer e ele próprio havia aprendido diretamente com Mesmer, então as evidências apontam para que Antoine fosse um legítimo mesmerizador. Na verdade, Antoine usava suas habilidades principalmente para a cura. Não é de se espantar que ele tenha ficado famoso por isso.


Antoine começou a curar pessoas e mais pessoas na colônia e sua fama se espalhou, gerando nada menos do que uma “Mesmer mania”. Evidentemente, aconteceu de Antoine angariar discípulos e a passar suas teorias de magnetismo e fluidos magnéticos, bem como suas técnicas.


Apesar de nesse momento as técnicas de Mesmer já estarem sob ataque dos mais céticos e da elite intelectual e dessas críticas terem chegado á colônia, vamos deixar esse debate para outra hora e focar mais em como o mesmerismo pode ter se espalhado em São Domingos.


É Moreau de Saint-Méry, o homem que fez um relato extenso sobre a vida na colônia no final do século XVIII, que vai revelar que o Mesmerismo encontrou discípulos entre os pretos e escravos. De fato, há indícios de que os senhores de plantação usavam mesmerizadores para curar os escravos, pois seria mais barato, mais rápido e podia ser feito em diversos escravos de uma só vez.


Há indícios de que os escravos possam ter começado a misturar os encontros noturnos de natureza religiosa com as ideias do mesmerismo. Em 1786 vemos a publicação de uma sentença punindo alguns escravos por se encontrarem a noite para a prática do magnetismo - nas palavras de quem os sentenciou.


Regourd nota que não se encontra, atualmente, nada que ligue o Vodou diretamente ao mesmerismo – nenhum de seus instrumentos ou técnicas óbvias, por exemplo, estão presentes no Vodou hoje. O autor atenta para o fato de que provavelmente a visão de que o Vodou se utilizava de Mesmerismo podia ser uma visão puramente do colono que tentava entender aquela manifestação cultural com o arsenal de linguagem que tinha. Ou ainda, uma tática direta para diminuir o Vodou, já que para muitos, o mesmerismo era sinônimo de charlatanismo.


Ou seja, embora não possamos, a partir desses dados, concluir com alguma segurança que o mesmerismo tenha influenciado o Vodou, há aí um campo investigativo que permanece aberto. É possível que algumas noções e até técnicas tenham se espalhado por encontros de Vodou e ou não tenham se fixado ou tenham se modificado.


93 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo